Juízos de valor em ATS: ainda vivemos a angústia cartesiana?

Em recente estudo publicado no International Journal of Technology Assessment in Health Care, pesquisadores questionam de que forma os juízos de valor impactam na condução das avaliações de tecnologias em saúde (ATS).

bjorn
Professor Bjørn Hofmann

 

Intitulado “Revelando e reconhecendo os juízos de valor em ATS”, foi um estudo conduzido pelo grupo do professor Bjørn Hofmann durante um workshop de metodologia em ética para ATS em Colonha, Alemanha, em janeiro de 2012. Durante a atividade diferentes especialistas internacionais em aplicação de tal metodologia em avaliação de tecnologias se reuniram apresentando suas experiências em como as questões de valor eram reconhecidas e manejadas. Visaram identificar os juízos de valor e seu correspondente papel na validade dos resultados em ATS.

 

A importância da realização deste estudo é ratificado pelos resultados do grupo do Dr. Luis Arellano, que identificou que 90% dos 104 especialistas em ATS -que apresentavam publicações entre os anos de 2005 e 2007- reconheciam que as decisões na atenção em saúde envolvem juízo de valor e que, de fato, a análise ética em ATS é importante processo. A despeito disso, para estes ainda não era claro definir qual seria o real papel dos juízos de valor nesse contexto.

Arellano
Dr. Luis E Arellano

 

Aliado a esse fator, o ideal de se admitir a presença de influência dos ditos juízos de valor, supostamente, ameaçaria o princípio básico da objetividade científica da ATS, tornando-a subjetiva, relativa e pouco confiável; a denominada “angústia cartesiana”. No entanto, Hofmann et al demonstram que os juízos de valor estão atrelados a etapas cruciais da ATS e, ainda ressaltam que torná-los explícitos pode promover uma avaliação mais transparente e confiável, assim como conduzir a uma tomada de decisão mais efetiva e robusta.

 

Definem que os juízos de valor são aqueles que avaliam o que seria considerado “adequado”. Transpondo este conceito à ATS identificamos que o processo envolve a busca pelo emprego de adequados métodos científicos, visando bons desfechos clínicos e moralmente adequados, de forma a facilitar a tomada de decisões social e economicamente aceitáveis. Durante todo este processo perpassam juízos de valor morais, metodológicos, legais, sociais e econômicos.

 

Encontra-se abaixo o link para acesso ao artigo:

Bjørn Hofmann,Irina Cleemput,Kenneth Bond,Tanja Krones,Sigrid Droste,Dario Sacchini and Wija Oortwijn (2014).
International Journal of Technology Assessment in Health Care, Volume 30, Issue06, December 2014, pp 579-586http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?aid=9625146